Budapeste é linda e majestosa, mas o interior da Hungria é belo e adorável. Eger, há uma hora e meia de Budapeste, a chamada “jóia do barroco húngaro”, foi uma das cidades mais alegres e encantadoras que conheci.

Grupo de dança folclórica húngara Eger Foto Roberto Pereira
Uma rua em Eger na Hungria Foto Roberto Pereira
Numa praça em Eger Foto Roberto Pereira
Ficamos três dias em Eger e tivemos a sorte de ver a tradicional dança folclórica húngara, era um sábado pela manhã e pelas ruas e praças da cidade havia grupos de crianças, jovens e adultos dançando ao som de instrumentos como a ‘Dudmaisis’, conhecida como ‘tömlösíp’ ou ‘börduda’, uma espécie de gaita de foles.
Dança típica húngara numa praça em Eger Foto Roberto PereiraDança típica húngara numa praça em Eger Foto Roberto Pereira
Dança típica húngara numa praça em Eger Foto Roberto Pereira
Turistas em Eger Foto Roberto Pereira
No centro histórico encontra-se a famosa fortaleza do século XVI, a segunda maior Basílica da Hungria, igrejas barrocas, o minarete turco e  prédios dos séculos XVII e XVIII, além de muitos restaurantes e lojas de vinho, onde provamos vinhos excelentes, como a Egri leányka (Mocinha de Eger), Sauvignon Blanc, Chardonnay, Pinot Noir e o mais famoso: o Egri Bikavér (Sangue de touro de Eger), aliás há muitos vinhedos em Eger e visitá-los é um dos programas preferidos dos turistas.
Uma praça no centro histórico de Eger Foto Roberto Pereira
Centro histórico de Eger na Hungria Foto Roberto PereiraBaco numa vinícola em Eger Foto Roberto Pereira
Aguardando o vinho, Eger Foto Roberto Pereira
Lojinha de chocolates e marzipan em Eger Foto Roberto Pereira
Visitamos a fortaleza do século XVI, construída sobre ruínas de um antigo forte de pedras, nela estão também as ruínas do Castelo de Eger. A   entrada é paga, mas dá direito a visitar o Palácio Gótico,a galeria de artes e as passagens subterrâneas, além de se apreciar a linda vista. Aos domingos há espetáculos com representação das batalhas travadas na fortaleza.
Fortaleza de Eger Foto Roberto Pereira
Subida do Castelo de Eger Foto Roberto Pereira
Encenação de batalha na fortaleza de Eger Foto Roberto Pereira
A única lembrança do domínio turco em Eger é o  Torok Kori Minaret, conhecido como minarete turco. Os húngaros tentaram por diversas vezes destruí-lo, mas não conseguiram. Atualmente os turistas sobem para apreciar a vista, contudo a torre é alta e a escada é muito estreita e de subida demasiadamente difícil, por isso não fomos até lá em cima.
 Torok Kori Minaret, conhecido como minarete turco em Eger Foto Roberto Pereira
A maioria do povo húngaro professa a religião católica,  apesar do Estado ser laico, por toda a Hungria tem igrejas lindas, em Eger não é diferente. Uma das mais visitadas, até porque fica no centro histórico é a Igreja de Santo Antonio de Pádua, conhecida por Igreja de Minarote, na praça Dobo. A Catedral Basílica de Eger tem um nome enorme  “Catedral Metropolitana da Basílica de São João Apóstolo e Evangelista, São Miguel e a Imaculada Conceição”, seu interior é muito bonito.
 Igreja de Santo Antonio de Pádua, conhecida por Igreja de Minarote, na praça Dobo Foto Roberto Pereira
 Catedral Basílica de Eger, "Catedral Metropolitana da Basílica de São João Apóstolo e Evangelista, São Miguel e a Imaculada Conceição"Foto Roberto Pereira
Muitos turistas preferem em Budapeste fazer um “bate e volta” de um dia em Eger, mas aconselho a ficar no mínimo dois dias para curtir a cidade, realmente é linda e nela tem muito o que ver. Hotéis não faltam, dos simples aos hotéis butiques, há também restaurantes espalhados por toda a cidade.
Hotel em que ficamos em Eger Foto Roberto Pereira
Não sei se um dia voltarei à Eger, mas nunca esquecerei os dias agradáveis e alegres que passei neste incrível lugar de atmosfera perfeita, cheio de atrações e onde apenas caminhar por suas ruas ou passear pelas  calçadas e pontes do pequeno rio Eger-Patak é um prazer.


            

Deixe seu Comentário