dj casamento rj

Comecei a trabalhar como DJ no início dos anos 80 quando recebi um convite do Marcio Torres, a principal referência de DJ para festas naquela época. O que motiva uma pessoa a trabalhar nesse ramo é a sua relação pessoal e paixão com a música. Comandar uma festa , seja casamento ou aniversário, é a mesma sensação do maestro que rege uma orquestra.

AGENDA

Imediatamente após a noiva acertar a data e local da festa. DJ e fotógrafo não podem estar em dois eventos ao mesmo tempo. Fico a disposição do cliente para uma reunião sem compromisso onde apresento o trabalho. Peço um sinal para a garantia da data. Não trabalho com hora extra. Toco pelo tempo que for necessário. No meu contrato está incluso reunião com os noivos para a seleção de repertório, visita técnica no local do evento, caso seja necessário. Equipamento de som adequado à estrutura da festa para reprodução de música mecânica. Ofereço também técnico de som com mesa digital, caso trabalhe com músicos. Peço um sinal de 50% e a segunda parcela deve ser quitada até a véspera da festa. Os orçamentos variam de acordo com a complexidade de cada festa, seja pelo equipamento, pela distancia e logística de montagem.

REUNIÃO

Até 3 se necessário. A primeira serve como introdução ao trabalho, sendo que alguns noivos desejam me conhecer pessoalmente para checar se me encaixo dentro do perfil deles. Depois, a mais importante é aquela que acontece próximo ao casamento, onde o repertório será debatido. As vezes alguns cerimoniais solicitam a minha presença em outra reunião para alinhar o cronograma do evento.

Procuro identificar o gosto musical do cliente através de perguntas ou até mesmo mostrando algumas músicas. Pergunto sobre restrições, preferencias de estilo e épocas. Verifico quais são as músicas da entrada dos noivos no salão, do corte simbólico do bolo e da primeira dança do casal.

ESTILO

Todo DJ tem seu estilo próprio, mas é importante fazer algumas observações. Existem diferenças profundas entre tocar num Club, Lounge ou barzinho de um lado e de outro as festas em geral. No primeiro grupo você não tem compromisso com o contratante e pode tocar o que quiser sem fazer concessões. Já na festa, o profissional deve procurar agradar ao máximo os noivos, procurando dar dinamismo a festa seja de que jeito for. Pessoalmente não curto Funk brasileiro, mas entendo que, dependendo da festa, é obrigatório.

Não custa lembrar outro detalhe. Ao contrário de uma festa de aniversário, num casamento existem duas ou três gerações de convidados. Gosto de tocar para todos.

Se o casamento fosse meu daria carta branca para o DJ fazer o que bem entendesse. Apenas pontuaria alguns detalhes.

5 MÚSICAS QUE VÃO BOMBAR NOS CASAMENTOS EM 2016 

1.Omi – Cheerleader

2.Calvin Harris – How Deep Is Your Love

3.George Ezra – Budapest

4.Weekend – Can’t Feel My Face

5.Coldplay – Adventure Of A Lifetime

DICA DO DJ

Não contratem um profissional através de e-mail ou WhatsApp. Procure conversar com o DJ, nem que seja por telefone para saber se ele tem o perfil que você deseja.  O DJ executa um trabalho artístico, portanto não utilize o critério de comparação de preços de uma lata de refrigerante, que terá o mesmo gosto em qualquer lugar. Nem sempre o mais caro será o mais indicado. Em tempos de crise, verifique tudo aquilo que está sendo oferecido. Cuidado com as armadilhas contratuais de hora extra, pensando que está fazendo um bom negócio. Principalmente se o evento for em lugar de praia ou serra, onde as festas tem uma duração enorme. Cheque a reputação do profissional. Verifique o tempo que ele está no mercado.

Deixe seu Comentário